Exército Britânico enviou especialistas de engenharia para ajudar contra invasão de migrantes na Polônia

Como pode ser visto nas imagens a grande maioria dos migrantes que estão acampados ao longo da fronteira polonesa com a Bielo-Rússia são homens jovens e muitos ainda usam uniformes militares de origem síria (provavelmente desertores) e de outros países do Oriente Médio. Fotos via Poland MoD.

Uma pequena equipe de militares britânicos foi enviada para a fronteira com a Bielo-Rússia para apoiar as forças polonesas em meio à crescente crise de imigrantes
O Ministério da Defesa do Reino Unido disse que os militares britânicos estarão estudando como fornecer apoio de engenharia para lidar com a situação em curso na fronteira com a Bielo-Rússia.

Mariusz Blaszczak, ministro da Defesa da Polônia , confirmou que as tropas britânicas se juntaram a uma missão de reconhecimento para explorar como fortalecer uma cerca na fronteira.

As tensões também estão crescendo entre os aliados da OTAN e a Bielo-Rússia, apoiada pela Rússia, pois tropas paraquedistas russas e bielorrussas estão realizando exercícios conjuntos do outro lado da fronteira, e próximo a fronteira da Lituânia.

O governo polonês acusou a Bielo-Rússia de trazer migrantes do Oriente Médio e levá-los de ônibus às fronteiras com a Polônia e a Lituânia em uma tentativa de desestabilizar a União Europeia. Porém a situação é bem diferente do que os grandes veículos de comunicação e até mesmo a OTAN estão divulgando.

A Bielo-Rússia nega as acusações, pois existem fortes indícios da participação da Turquia e de outros países do Oriente Médio na criação da situação, mas o governo de Minsk diz que não vai mais impedir os refugiados e migrantes de tentarem entrar na UE, pois de acordo com as leis do país eles são proibidos de entrar de maneira ilegal e de permanecer na Bielo-Rússia de forma clandestina. Uma vez dentro do território bielorusso, eles não são obrigados a escolher destinação quando se dispões a sair do país por vontade própria sem acontecer a deportação por vias legais.

Foi amplamente comentado por diversos especialistas europeus que a Grécia enfrenta uma situação semelhante ou até mesmo pior com a invasão constante de seu território por massas de imigrantes ilegais vindos da Turquia, mas a OTAN não quis criar maiores com o “aliado” problemático…

A Otan disse na sexta-feira que está atenta a qualquer agravamento da situação em seu flanco oriental.

“Continuaremos vigilantes contra o risco de uma nova escalada e provocação por parte da Bielorrússia em suas fronteiras com a Polônia, Lituânia e Letônia, e continuaremos monitorando as implicações para a segurança da aliança”, disse o Conselho do Atlântico Norte, representando os 30 membros da aliança estados membros, disse em um comunicado.

“Os aliados da OTAN apelam à Bielo-Rússia para que cesse estas ações, respeite os direitos humanos e as liberdades fundamentais e cumpra o direito internacional”.

O Ministério da Defesa russo disse que, como parte dos jogos de guerra conjuntos, as tropas russas vão saltar de pára-quedas de aviões de transporte Il-76 na região de Grodno, na Bielo-Rússia, que faz fronteira com a Polônia.

Os militares bielorrussos disseram que o exercício envolvendo um batalhão de paraquedistas russos tinha como objetivo testar a prontidão das forças de resposta rápida dos aliados devido a um “aumento das atividades militares perto da fronteira com a Bielo-Rússia”.

Ele disse que, como parte dos exercícios, que também envolverão meios de defesa aérea bielorrussa, helicópteros e outras forças, as tropas praticarão como alvo batedores inimigos e formações armadas ilegais, junto com outras tarefas.

No início desta semana, Moscou enviou seus bombardeiros estratégicos com capacidade nuclear em missões de patrulha sobre a Bielo-Rússia por dois dias.

O vice-embaixador da Rússia na ONU, Dmitry Polyansky, disse a repórteres na sede da ONU em Nova York que os voos vieram em resposta a um aumento maciço de forças polonesas na fronteira polonesa-bielo-russa.

A Rússia apoiou fortemente a Bielorrússia em meio a um tenso impasse esta semana, quando milhares de migrantes e refugiados, a maioria do Oriente Médio, se reuniram no lado bielorrusso da fronteira com a Polônia na esperança de cruzar para a Europa Ocidental.

Abaixo, vídeos recentes sobre a situação:

  • Com informações RT France, OTAN, France Inter, Voice of Europe, Sky News e Polish MoD, via redação Orbis Defense Europe.





Be the first to comment on "Exército Britânico enviou especialistas de engenharia para ajudar contra invasão de migrantes na Polônia"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*