Governo Biden planejava gastar 6 bilhões com forças afegãs em 2021/2022

Imagem via redes sociais.

O Congresso dos EUA sob administração Biden/Kamalla estava prestes a ceder bilhões de dólares previamente planejados para apoiar as forças de segurança afegãs em outras prioridades militares mesmo após a tomada do Taleban no Afeganistão , mas alguns defensores políticos e especialistas de segurança internacional estão pressionando os congressistas para redirecionar essas verbas bilionárias para manter o trabalho anti-terrorismo no exterior.

Funcionários da Global SOF Foundation , uma organização sediada na Flórida que defende as forças de operações especiais em todo o mundo, na sexta-feira enviaram uma carta aos líderes do Comitê de Serviços Armados da Câmara e do Senado pedindo que quase US $ 3 bilhões em dinheiro planejado para o agora extinto Exército Afegão e suas forças policiais sejam redirecionados para recursos e operações de inteligência na região.

“O resultado final é que mais operações além do horizonte exigirão recursos atualmente não alocados. O SOCOM dos EUA e a comunidade de inteligência não têm financiamento suficiente para enfrentar esses novos desafios. Devemos garantir que as organizações de ameaça que desejam nos prejudicar não possam se reconstituir e devemos impedir que proliferem o terrorismo. “Eles agora serão ainda mais necessários para combater uma ameaça terrorista global encorajada”, escreveu o grupo em sua petição.

A pressão ocorre menos de uma semana antes de o Comitê de Serviços Armados da Câmara debater o financiamento militar afegão em seu aumento anual de projeto de lei de autorização de defesa.

Aproximadamente US $ 6 bilhões que foram aprovados ou serão aprovados para o treinamento militar afegão agora estão em disputa após o colapso de Cabul na semana passada, e a disputa entre os legisladores para encontrar um novo lar para esse dinheiro já começou.

Os números incluem quase US $ 3 bilhões não gastos nos anos fiscais de 2020 e 2021, e US $ 3,3 bilhões solicitados pelo Pentágono para treinar e equipar o exército afegão, força aérea e polícia nacional em 2022.

Os membros do Comitê de Serviços Armados do Senado aprovaram seu projeto de medida de política de orçamento de defesa no início deste verão, com cerca de US $ 3,3 bilhões para as Forças Armadas Afegãs (agora forças integradas ao Talebã) e forças de segurança afegãs incluídos.

No entanto, isso foi antes da queda do governo democrático no Afeganistão no início deste mês e da efetiva dissolução dos militares afegãos, em uma situação complicada e mal explicada até agora.

Em um rascunho da linguagem inicial do NDAA do Comitê de Serviços Armados da Câmara, obtido antes do lançamento oficial da próxima semana, os líderes do comitê democrata estão propondo reter apenas cerca de US $ 350 milhões desse dinheiro para concluir contratos pendentes com empresas de defesa e reatribuir os outros quase US $ 3 bilhões a outras prioridades não afegãs.

Ainda não se sabe quantos membros do comitê do congresso seguirão essa diretriz. Teoricamente, essas verbas não foram bloqueadas pelo congresso dos EUA e se não forem redirecionadas, poderão ser depositadas nas contas do “atual governo do Afeganistão”…

Vários legisladores nos últimos dias pediram investimento em novas operações militares na região para conter ameaças terroristas como o ISIS-K, o grupo que assumiu a responsabilidade por um ataque no aeroporto de Cabul na quinta-feira que matou 13 militares dos Estados Unidos e, de acordo com informações atuais, pelo menos 200 civis afegãos.

Os republicanos na Câmara também atacaram repetidamente os planejados US $ 715 bilhões em gastos com defesa delineados no plano inicial de autorização de defesa, dizendo que fica aquém das necessidades militares em todo o mundo.

A carta da Global SOF Foundation observa que, uma vez que todas as tropas dos EUA devem deixar o Afeganistão em 31 de agosto, as agências de inteligência americanas exigirão “recursos aéreos significativos e prazos de resposta muito curtos” para responder às ameaças terroristas na região.

Isso exigirá mais equipamento, pessoal e dinheiro, observaram.

As questões financeiras em torno das forças de segurança afegãs provavelmente serão submetidas a mais escrutínio nas próximas semanas, conforme o Congresso debate tanto o projeto de autorização de defesa quanto o pedido do presidente para o orçamento fiscal de 2022 do Departamento de Defesa.

O debate do Comitê de Serviços Armados da Câmara sobre o projeto de lei de autorização está definido para começar na manhã de quarta-feira e durar até tarde da noite. A equipe disse esperar que uma série de emendas relacionadas à supervisão do Afeganistão e apoio militar sejam oferecidas durante a sessão.

Abaixo, um vídeo com informações sobre como as verbas destinadas ao Exército Afegão e suas forças policiais foi aparentemente dispersado ou desviado:

Maiores detalhes podem ser encontrados no documento oficial do governo dos EUA intitulado: EVALUATING U.S. FOREIGN ASSISTANCE TO AFGHANISTAN (2011)

Link para o documento original: https://www.govinfo.gov/content/pkg/CPRT-112SPRT66591/html/CPRT-112SPRT66591.htm

  • Com informações Global SOF Int., Politico.com, House Armed Services Committee’s-NDAA e texto parcialmente adaptado da matéria original de Leo Shane III para o Marine Corps Times, via redação Orbis Defense Europe.
  • Links de referências:

https://www.politico.com/news/2021/08/25/funding-afghan-military-506873

https://www.marinecorpstimes.com/flashpoints/afghanistan/2021/08/27/dod-planned-to-send-billions-on-afghan-security-forces-this-group-has-a-suggestion-for-those-funds/





Be the first to comment on "Governo Biden planejava gastar 6 bilhões com forças afegãs em 2021/2022"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*