Marinha Ucraniana ameaçou atirar contra Guarda Costeira Russa perto do Estreito de Kerch

Os navios ucranianos da classe Gyurza-M (imagem de arquivo) que participavam de uma patrulha de rotina quando foram confrontados pela guarda costeira russa (FSB). Imagem ilustrativa com foto via Ucranian Navy.

A Marinha Ucraniana ameaçou atirar em navios da Guarda Costeira Russa perto do estreito de Kerch poucas horas antes de a Rússia restringir o acesso à hidrovia, no último sinal de aumento das tensões no leste europeu.

O impasse ocorreu entre três barcos de artilharia ucranianos da classe Gyurza-M e cinco navios não identificados pertencentes ao serviço da guarda costeira FSB da Rússia durante a noite da madrugada, entre quarta e quinta-feira, de acordo com o editor do Black Sea News, Andrii Klymenko, que monitora a atividade militar na área.

Os navios russos começaram a fazer ‘manobras provocativas’ em torno dos barcos ucranianos e só recuaram depois de ameaçarem abrir fogo, relatou Klymenko. O incidente aconteceu a 25 milhas do Estreito de Kerch.


Uma foto alegadamente tirada a bordo de um dos navios ucranianos nessa noite de 15/04, do incidente mostra um marinheiro no convés com um navio de carga ao fundo, que provavelmente estaria sendo defendido pelas embarcações ucranianas. Imagem via Telegram da Marinha Ucraniana (Autor desconhecido).

Poucas horas depois do último incidente, a Rússia anunciou um bloqueio de águas perto do estreito, mas negou que isso afetaria o próprio estreito, que disse permanecer aberto.

“Das 21:00 de 24 de abril às 21:00 de 31 de outubro, a passagem pelo mar territorial da Federação Russa para navios militares estrangeiros e outras embarcações estatais será interrompida”, disse o ministério da defesa, sem dar mais explicações.

As restrições afetarão a ponta oeste da Crimeia, a costa sul da península de Sebastopol a Hurzuf e um “retângulo” na península de Kerch perto da Reserva Natural Opuksky, disse o ministério.

blank

O incidente de Kerch ecoa um confronto de 2018 entre a Ucrânia e a Rússia no estreito, que levou à captura de três navios ucranianos e ao bloqueio do estreito pela Rússia usando um navio de contêineres, gerando uma crise diplomática.

Enquanto a disputa diplomática entre os EUA e a Rússia se desenrola, o presidente ucraniano Vlodomyr Zelensky se reuniu com aliados europeus em Paris como uma demonstração de unidade.

Macron recebeu Zelensky para almoçar em Paris e os dois falariam mais tarde com a chanceler Angela Merkel por link de vídeo.

‘A soberania da Ucrânia está ameaçada’, disse o gabinete de Macron, acrescentando: ‘Todo o nosso trabalho visa evitar uma escalada e acalmar as tensões.’

O encontro de Zelensky com os líderes da França e da Alemanha, que são mediadores do conflito desde 2015, ocorre no momento em que a Ucrânia acusa a Rússia de ameaçar destruí-lo.

“Eles estão abertamente ameaçando a Ucrânia com a guerra e a destruição do Estado ucraniano”, disse o ministro das Relações Exteriores, Dmytro Kuleba, em entrevista coletiva com seus homólogos dos ex-países soviéticos da Estônia, Letônia e Lituânia.

A linha vermelha da Ucrânia é a fronteira do estado. Se a Rússia ultrapassar a linha vermelha, terá que sofrer ‘, alertou.

Enquanto isso, o embaixador da Grã-Bretanha em Moscou chegou ao Ministério das Relações Exteriores da Rússia para negociações na sexta-feira, depois que Londres convocou o embaixador russo, informou a agência de notícias RIA, em meio a uma nova deterioração nas relações bilaterais.

O Ministério das Relações Exteriores da Grã-Bretanha disse na quinta-feira que convocou o enviado da Rússia para expressar sua preocupação com o “comportamento maligno” de Moscou e mostrar o apoio de Londres às sanções anunciadas no início do dia por Biden.

A embaixada britânica disse à RIA que a reunião no Ministério das Relações Exteriores havia sido planejada com antecedência.

A situação ocorre no momento em que a Ucrânia avisa que poderia construir unilateralmente um arsenal nuclear se a Otan se recusar a permitir sua adesão à aliança militar ocidental.

O Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia alertou sobre a ameaça da tensão do Mar de Azov se transformar em um grande incidente, declarando oficialmente:

‘A Rússia continua a violar o direito internacional’,

‘O FSB da Rússia fez mais uma tentativa de impedir as ações legais de um grupo de barcos da Marinha ucraniana em serviço de combate.

‘O grupo de barcos táticos da Marinha ucraniana prosseguiu com sua missão apesar das provocações russas e dos esforços deliberados para restringir a navegação livre.’

‘Tais ações da Federação Russa são outra tentativa, em violação das normas e princípios do direito internacional, de usurpar (nossos) direitos soberanos como um estado litorâneo.

“É a Ucrânia que tem o direito de regulamentar a navegação nessas partes do Mar Negro.”

Na quinta-feira, a Ucrânia protestou contra a decisão da Rússia de barrar navios de guerra estrangeiros e embarcações estatais de partes do Mar Negro na direção do estreito de Kerch da próxima semana até outubro.

Houve alegações de que as imagens de satélite mostram que a Rússia instalou na Crimeia S-400 sistemas antiaéreos com um alcance de 250 milhas, de acordo com o Information Navigator.

Isso permite que “as forças de ocupação russas controlem quase todo o espaço aéreo do Mar Negro”.



blank

Be the first to comment on "Marinha Ucraniana ameaçou atirar contra Guarda Costeira Russa perto do Estreito de Kerch"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*