Por que uma aeronave da USAF equipada para detectar partículas radioativas sobrevoa a Europa?

Foto atribuída a um flagrante de sobrevôo da aeronave WC-135 "Constant Phoenix" sobre o Mar Báltico de autor desconhecido. Via Omaha.com.

Esta é a terceira vez em 40 anos que uma aeronave desse tipo está operando em espaço aéreo da Europa. Ele é capaz de detectar e monitorar atividades nucleares a longa distância. E ninguém sabe ao certo o que ele está fazendo, por enquanto…

O avião WC-135 “Constant Phoenix” é uma aeronave especial do 45º Esquadrão de Reconhecimento da Força Aérea dos Estados Unidos, equipada com equipamentos para detectar e coletar partículas radioativas presente na atmosfera. E a aeronave está voando há pelo menos duas semanas, bem alto nos céus da Europa.

O WC-135 foi desenvolvido em 1965, e hoje 11 aeronaves estão em serviço , desenvolvidas a partir de diferentes modelos de aeronaves civis da Boeing. Sua missão é detectar e estudar resíduos de experimentos nucleares, em particular de testes militares.

No entanto, um desses aviões, comumente apelidado de “farejadores” ou “pássaros do tempo”, está operando a partir da base da OTAN (majoritariamente operada pela USAF) em Mildenhall (Reino Undido) desde o final de julho.

E segue em missões voando pela Europa: foi observado em 5 de agosto no Báltico , entre a ilha sueca de Götland e a Lituânia, enquanto um avião de observação britânico e um radar sueco sobrevoavam a mesma zona. Ele então sobrevoou os mares de Barents e norueguês, acompanhado por dois navios-tanque KC-135 da Força Aérea dos Estados Unidos.

O “Constant Phoenix” realizou outra missão no Mar Negro em 12 de agosto. E foi o que se observou recentemente, no dia 16 de agosto: ainda partindo da Grã-Bretanha, sobrevoou a França de norte a sul para chegar ao Mediterrâneo, sempre acompanhado por aviões de reabastecimento. A aeronave deu meia-volta assim que passou sobre a Sicília . Um de seus dois aviões de reabastecimento de escolta continuou para Malta antes de voltar para a Inglaterra.

Três missões europeias em 40 anos

Essas várias missões permanecem muito misteriosas. Pode-se razoavelmente presumir que aqueles acima das águas frias tinham como objetivo principal monitorar as atividades russas.

De fato, o Kremlin é suspeito de fazer experiências com uma nova geração de armas nucleares em bases localizadas nas margens do Mar Branco. Quanto ao sobrevoo do Mediterrâneo Ocidental, levanta muito mais questões do que respostas: o interesse de implantar um avião detector de partículas radioativas em uma região que a priori não hospeda nenhum arsenal nuclear levanta muitas questões.

No entanto, a presença de uma “Fênix Constante” na Europa continua sendo um evento à parte. Este tipo de aeronave tinha sido oficialmente deslocada anteriormente apenas duas vezes no Velho Continente: na época do desastre de Chernobyl, em 1986, e durante um pico de radioatividade observado em vários países europeus em fevereiro de 2017.

Abaixo, um dos raros vídeos recentes do WC-135 “Constant Phoenix” operando a partir da RAF AFB Mildenhall em 5/08/21:

  • Com informações @GDarkconrad, USAF, e grupos de monitoramento de tráfego aéreo na Europa, via redação Orbis Defense Europe.




Be the first to comment on "Por que uma aeronave da USAF equipada para detectar partículas radioativas sobrevoa a Europa?"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*