Turquia envia reforços para Idlib em preparativos para confronto contra Exército Sírio

Imagem ilustrativa com foto Turkish Army.

A Turquia incrementou reforços militares na região noroeste da Síria de Grande Idlib desde o início de outubro para impedir qualquer operação terrestre do Exército Árabe Sírio. Os militares turcos mantêm mais de 60 posições na Grande Idlib, que é controlada pelo grupo terrorista islâmico Hay’at Tahrir al-Sham (HTS), afiliado à Al Qaeda.

“Desde o início deste mês, as forças de ocupação turcas implantaram dezenas de tanques e outros veículos blindados para apoiar grupos terroristas islâmicos no monte al-Zawiya, no interior do sul de Idlib e em outras áreas do interior do oeste de Aleppo, para melhorar sua capacidade impedir o avanço das unidades do SAA no início das operações de liberação da cidade de Idlib e das demais áreas ocupadas por esses grupos ”, diz o relatório da SANA.

Apesar das informações abundantes, ainda não foram divulgadas imagens atuais e confiáveis dos fatos por ambos os lados envolvidos no conflito.

O relatório da agência estatal indica que a SAA e seus aliados estão de fato se preparando para lançar uma operação terrestre na Grande Idlib em breve.

O cessar-fogo na Grande Idlib, negociado pela Rússia e pela Turquia no ano passado, parece estar à beira do colapso, pois o HTS e seus aliados efetuam ataques da região diariamente. Na manhã de 9 de outubro, os militantes bombardearam uma cidade controlada pelo governo na zona rural do noroeste de Hama. Um civil idoso foi gravemente ferido.

O presidente russo Vladimir Putin e o presidente turco Recep Tayyip Erdogan não conseguiram chegar a um novo acordo sobre a Grande Idlib durante uma recente reunião na cidade turística russa de Sochi.

A Turquia parece estar determinada a interromper todas as operações terrestres da SAA e seus aliados na Grande Idlib. Isso provavelmente levará a um confronto militar perigoso na região, semelhante ao que ocorreu em 2020. Dezenas de militares sírios e turcos foram mortos naquela época.

Em 10 de outubro, dois militares turcos foram mortos e três militantes do terrorismo islâmico (HTS) sírios apoiados pela Turquia ficaram feridos quando seus veículos foram atacados perto da cidade síria de Marea, no interior de Aleppo.

Os veículos, um veículo BMC Kirpi MRAP [protegido contra emboscada resistente a minas] e um SUV blindado, foram alvejados por mísseis guiados antitanque enquanto passavam perto da cidade.

O ataque foi alegadamente realizado por forças curdas, nomeadamente as Forças de Libertação Afrin. As forças curdas controlam um pedaço de terra ao sul das áreas ocupadas pelos turcos na zona rural do norte de Aleppo.

O Ministério da Defesa Nacional turco ainda não comentou o incidente. O ministério geralmente reconhece qualquer perda humana dentro de 24 horas.

Fontes de notícias turcas disseram que as vítimas do ataque foram oficiais da Polícia Especial turca e trabalhadores da AFAD, a Presidência de Gestão de Emergências e Desastres da Turquia. Isso ainda não foi confirmado.

As forças curdas e militantes radicais intensificaram seus ataques às forças turcas em diferentes partes da Síria nas últimas semanas.

Mais reforços chegaram nesse final de semana

Em 10 de outubro, os militares turcos estabeleceram mais um posto na região de Grande Idlib, noroeste da Síria, onde vários grupos terroristas apoiados pela Turquia estão presentes e ativos.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos disse que o novo posto foi construído na cidade de Afes, na zona rural do sul de Idlib, a apenas algumas centenas de metros das posições do Exército Árabe Sírio (SAA) na cidade de Saraqib.

De acordo com o grupo de monitoramento baseado em Londres, dois tanques, quatro veículos blindados pesados, três veículos blindados leves e cerca de 50 soldados foram posicionados no posto que supervisiona a rodovia Lattakia-Aleppo, a M4, e a rodovia Hama-Aleppo, a M5 .

O posto da linha de frente foi estabelecido em meio a relatos de uma operação próxima da SAA e seus aliados na Grande Idlib. A operação terá como alvo Hay’at Tahrir al-Sham (HTS), afiliado à Al-Qaeda, e seus aliados que violaram o cessar-fogo na região diariamente.

A Turquia parece estar determinada a proteger as facções armadas na Grande Idlib, especialmente o HTS, o governante de fato da região. Isso pode levar a um sério confronto com a SAA e seus aliados, incluindo a Rússia.

  • Com informações SANA Syria, Syrian Observatory for Human Right Watch e STFH Analysis & Intelligence viz redação Orbis Defense Europe/Genebra.




Be the first to comment on "Turquia envia reforços para Idlib em preparativos para confronto contra Exército Sírio"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*